27.06.2017

Subindo de Categoria no Enduro

Conheça os requisitos básicos para evoluir no esporte

O Enduro é uma molidade hípica de fácil acesso a seus praticantes. Geralmente, para iniciar no esporte, é aconselhável apenas que o cavaleiro tenha algum tipo de contato com o cavalo e muita disposição.
 
Normalmente as pessoas costumam ingressar na modalidade pelas provas de regularidade, que têm de 10 a 40km de distância e caracterizam-se por ter velocidades mínima e máxima estipuladas. O objetivo principal é se aproximar de um tempo específico predeterminado, levando em consideração os batimentos do animal. 
 
 
Quando os atletas já estão mais familiarizados com o esporte e sentindo segurança para evoluir, eles começam a fazer provas de velocidade livre, nas quais o campeão é o conjunto que terminar a disputa em menos tempo.
 
Hoje vamos entender um pouco mais sobre o preparo de cavalos e cavaleiros para provas de Enduro. 
 
1. Preparo físico do cavalo
 
Como já mencionamos anteriormente, qualquer raça pode fazer uma prova de Enduro de curta distância. Porém, na hora da escolha do animal, é importante levar em consideração características como capacidade de recuperação cardíaca, qualidade de movimentação e metabolismo. 
 
Nas categorias Aberta e Graduado - consecutivamente 20 e 40km com velocidade controlada - cavalos saudáveis e domados costumam se sair bem. Além disso, aqueles que têm, por natureza, baixa frequência cardíaca e membros sólidos são priorizados. Não é necessário um treinamento específico, mas é importante que o animal realize atividades físicas semanalmente, para que não tenha grande desgaste físico no dia da prova.
 
Segundo Marco Antônio Camargo Dias, dono e treinador dos cavalos do Centro Equestre Iucatan, é importante fazer um trabalho de construção do animal, ou seja, "iniciá-lo em provas menores e ir passando por todas as etapas do esporte, de forma que ele se acostume com a modalidade e fique bem à vontade durante as competições". 
 
 
A alimentação é feita de modo muito específico e varia de criação para criação. Nos haras do Marquinho, por exemplo, os animais são alimentados três vezes ao dia com feno e duas vezes com ração, para que permaneçam leves. Nas semanas que antecedem as disputas, ele opta por aumentar a dose das refeições, uma vez que os animais perdem peso durante uma competição.
 
Em provas de 40 e 60km, que são categorias de velocidade livre, segundo Dudu Barreto, treinador e veterinário da Chevaux Team, é preferível que o cavalo comece a ser trabalhado mais regularmente - pelo menos duas ou três vezes por semana - em treinos de 1h30m a 2h. É desejável que ele tenha andadura leve e galope equilibrado, além de rápida recuperação cardíaca.
 
Para as categorias de longa distância - 80km, 120km e 160km - os treinos devem ser feitos diariamente. É indicado que sejam acompanhados por um treinador profissional e um veterinário qualificado. É sempre bom manter as crinas curtas e a tosquia em dia.
 
 
 
O Puro Sangue Árabe costuma ser a raça mais representativa nessas categorias, seguido por Cruza-Árabe e Anglo-Árabe. Isso acontece porque eles apresentam um bom metabolismo, suportando melhor as trocas de temperatura, e uma capacidade de recuperação cardíaca superior a das outras raças. 
 
Não esqueça também de tratar o cavalo com vermífugo e vacinas, além de realizar consultas frequentes com veterinários, osteopatas e dentistas. 
 
1.1 Preparo físico do cavaleiro:
 
Para os que desejam iniciar no esporte, o ideal é que a primeira prova seja de 20km. Não há grandes exigências de preparo físico para estes novos enduristas, mas é desejável que o atleta leve um estilo de vida saudável. Para categorias de 40km e 60km, os cavaleiros devem exercer alguma atividade física simples, além de montar pelo menos uma vez por semana. 
 
Já para as provas de longa distância, que exigem mais esforço do cavaleiro, é interessante que os atletas exerçam atividades que melhorem a resistência muscular, capacidade respiratória e flexibilidade - como pilates, corrida ou musculação. É essencial, também, que façam no mínimo um treino longo durante a semana. 
 
 
 
Os quatro elementos mais importantes a serem trabalhados são reforço abdominal, de modo que o cavaleiro consiga manter um trote ou galope bem estruturado e confortável por um período longo de tempo; a resistência, que pode ser trabalhada em atividades como natação e ciclismo; flexibilidade, para realizar movimentos de grande amplitude; e, por fim, a propriocepção, que é a percepção do próprio corpo no espaço e que é preponderante da intervenção de quedas.
 
1.2 Qualificação para provas FEI:
 
Para realizar a primeira prova FEI e somar pontos no ranking internacional de Enduro, cavalo e cavaleiro precisam preencher uma série de requisitos exigidos pela Fédération Equestre Internationale (FEI). Lembrando que todas as regras visam preservar o bem-estar do animal. 
 
A prova FEI de menor distância é a de 80km. Para estar apto a participar de uma, é necessário que os atletas, não necessariamente juntos, tenham completado duas provas de 40 a 79km de distância e mais duas de 80 a 90km, todas com uma velocidade média de até 16km/h. 
 
 
Confira as regras de qualificação completa aqui
 
 
 
Gostou e quer saber mais sobre o Enduro Equestre? Entre em contato com a gente: apoio@chevaux.com.br