29.05.2015

Rancho Barreto: o local da estreia da Copa Chevaux

A primeira etapa da Copa Chevaux acontece no Rancho Barreto e o proprietário Eduardo Barreto falou um pouco mais sobre a história do rancho.

A primeira etapa da Copa Chevaux acontece no Rancho Barreto e representa, também, a 3ª edição do Troféu XB. Estamos aqui para contar por que isso é mais um ótimo motivo para você participar da prova. A propriedade é um dos principais centros de treinamento de Enduro Equestre do país, com resultados nacionais e internacionais expressivos. Mas não é só isso. É também um local bastante agradável, com anfitriões muito apaixonados por cavalos, por enduro e por receber os amigos.

Background Image

Conversamos com Eduardo Barreto, um dos responsáveis pelo Rancho, para saber um pouco mais sobre a história do lugar, sobre o treinamento dos animais e sobre as outras edições do Troféu XB. O campeonato contou com 43 competidores na primeira edição, 75 na segunda e a expectativa é de 100 inscritos para a próxima prova.

Como surgiu a ideia de promover o Troféu XB? O que a competição significa para vocês?

Ainda que o desejo de realizar uma prova no Rancho Barreto já venha de algum tempo, a decisão de realizá-la veio no início de 2013 como uma forma concreta de contribuir para o Enduro Equestre do Distrito Federal. Dada a escassez de recursos para investimento no esporte, entendeu-se que a realização de uma prova por um centro de treinamento, arcando com toda a infraestrutura e organização, seria uma maneira efetiva de contribuir para a manutenção e evolução do Enduro de Brasília naquele momento.

Obviamente que, aliado ao desafio da realização de uma prova com o melhor nível de organização possível, também vinha o desejo de receber a todos com muita hospitalidade e alegria, transformando o evento em um momento de confraternização e lazer, vivenciando a paixão pelo Cavalo, pelo Esporte, junto com a comunidade endurística, amigos e familiares. 

E como foram as edições anteriores?

A mobilização para a realização do I Troféu XB foi total, conduzida pelo Dudu Barreto, que durante a Cerimônia de Premiação naquele dia, disse como primeiras palavras:  “O que para vocês pode ser apenas mais uma prova de Enduro, para nós foi a realização de um sonho.”

Creio que esta frase demonstra todo o comprometimento e emoção que envolveu a realização da primeira prova de Enduro no Rancho Barreto. Por fim, naquele dia, a cerimônia de premiação contou, ainda, com apresentação de animais do Rancho, de dupla sertaneja, que encerrou o evento com muita animação, leitão assado e cerveja, oferecida pela Cervejaria Stadt Bier.

O balanço final, para nós, foi de uma experiência bem sucedida e prazerosa, em que os objetivos traçados para a realização do I Troféu XB de Enduro Equestre foram plenamente alcançados.

Como organizadores, ficou o gostinho de quero mais e daí, com a chancela da FHBr, já no ano seguinte, a prova do Rancho Barreto entrou para o calendário de provas do Campeonato do Distrito Federal e, agora em 2015, tem a satisfação de sediar a primeira das 5 etapas da Copa Chevaux.

Background Image

Equipe do Rancho Barreto reunida no I Troféu XB

Qual é a expectativa para a Copa Chevaux?

Nos sentimos absolutamente honrados com esta oportunidade e esperamos retribuir realizando um belo, aconchegante e alegre evento, onde os cavalos, cavaleiros e equipes são os atores principais, mas a confraternização entre todos os presentes é o objetivo maior.

Qual é a história do Rancho Barreto, como tudo começou?

O hoje chamado Centro de Treinamento Rancho Barreto, conhecido desde sempre como Chácara da Dona Rita, situa-se em um terreno de 8 hectares, localizado no município de Planaltina de Goiás, distante 60 km do Balão do Torto, na saída norte de Brasília.

Não tem como falar em Rancho Barreto sem falar em Dona Rita Xavier Barreto, matriarca da família – esposa, mãe, avó, bisavó... – a grande responsável por permitir que chegássemos ao momento de hoje. Foi ela que pouco mais de 30 anos atrás, tomou a decisão de adquirir a propriedade, uma propriedade muito simples, com uma pequena casa de 2 quartos, uma piscina agradável e uma casa de caseiro. E tudo isso foi suficiente durante muito tempo para a confraternização dos amigos e familiares. Aos poucos o Dr. Wanderley, como é chamado o patriarca da família, hoje prestes a completar 94 anos, foi tomando gosto pela chácara e em 1994, durante um leilão, comprou, ou pagou, o primeiro equino que chegou à Chácara com a missão de nos permitir praticar um esporte equestre (qualquer que fosse ele), na época uma ½ sangue Quarto de Milha com Criolo, a inesquecível Garbosa.

Background ImageBackground Image

E a paixão pelo Enduro Equestre, veio de onde?

Em março de 2002, eu e meu irmão Gustavo, juntamente com o amigo de infância Gian, e ainda em busca do esporte equestre a ser praticado, participamos na Fazenda Velha da primeira prova de Enduro, na modalidade Regularidade, montando nossos respectivos parceiros Perseu (cruza árabe), Shady (quarto de milha) e Kibah (cruza árabe). Dentre tantas outras curiosidades que poderiam ser citadas da participação nessa prova, vale registrar que nós 3 fomos desclassificados por excesso de velocidade. Mas terminamos aquele ano participando do Campeonato Brasileiro de Regularidade disputado em Brasília, como Campeão Brasileiro (Gustavo Barreto/Zorkhan Rach), 2º lugar (Gian/Kibah) e 3º lugar (Eduardo Barreto/Perseu da Carnaúba), na Categoria Aberta, modalidade Regularidade.

A partir daí as provas foram se sucedendo, a Equipe foi aumentando – ingressaram como cavaleiros o Dudu Barreto, depois a Rafaela e o Rodrigo.

Em 2006, em parceria com o Haras Santa Clara, de propriedade do amigo Odimar, foi criada a Equipe Trilha Brasília, que tinha como principais características as camisas amarelas, a cerveja Stadt Bier – companheira de todas as provas, e alegria expressada nas comemorações dos próprios resultados e, muitas vezes, dos sucessos alcançados por outros competidores.

Aos poucos as instalações foram sendo construídas e melhoradas, sempre procurando simplicidade e funcionalidade.

Background Image

Rodrigo Barreto quando iniciou no Enduro, aos 9 anos.

Fale um pouco mais sobre o centro de treinamento. Quantos cavalos e cavaleiros formam a equipe?

Hoje, o Rancho Barreto conta com 14 cavalos em treinamento, com os trabalhos conduzidos no dia a dia pelo Gilmar e pela Lu, com o auxílio do Maranhão e do De.

Acrescente-se a estes animais outros 13, em sua maioria potros, e que serão ao longo dos próximos anos introduzidos no esporte. Alguns destes animais são de criação própria, já tendo dentre estes uma Campeã Brasileira de 80 km – Mega XB.

A gestão e coordenação técnica e veterinária é realizada pelo Dudu Barreto (Médico Veterinário), com o suporte do irmão Rodrigo Barreto (cursando Medicina Veterinária), que, juntos, estabelecem e monitoram todo o manejo dos animais.

Eu e Gustavo, sócios no investimento, participamos ativamente do Planejamento e das decisões, sempre tomadas em conjunto, aí incluindo-se a amazona, e um dos destaques da Equipe, Rafaela Barreto, além dos funcionários do Rancho.

A partir de 2009 começaram as experiências internacionais dos Conjuntos do Rancho Barreto – Rafaela Barreto/Zorkhan Rach foram convocados para participar da Equipe Brasileira no Mundial de Young Riders em Balbona – Hungria.

O investimento em bons profissionais, sempre priorizando a qualidade e não a quantidade, o aprendizado contínuo, com um mínimo de planejamento e o estabelecimentos de objetivos para cada ano, deram suporte à caminhada até os dias de hoje.

Qual é a rotina de treinamento dos cavalos?

A rotina de treinamentos no Rancho Barreto é seguida à risca por treinadores e cavaleiros, mais uma vez sob a batuta de Dudu Barreto, com agora o suporte de seu estagiário e cavaleiro Rodrigo Barreto.

Os treinamentos vem evoluindo a cada ano, ajustando-se metodologias e características. Um dos aprendizados recentes - últimos dois anos - é de que os cavalos tem que ser “gastos” nas provas e não nos treinamentos, o que tem como consequência uma redução significativa das lesões, fator impeditivo de participação de um animal em uma prova. Também foi introduzida a prática de utilizar-se provas de menor distância como treinos, no preparo dos animais para as provas onde realmente vão competir.

O intercâmbio de informações com outros Centros de Treinamento e seus profissionais, no Brasil e no exterior, além do estudo e monitoramento das técnicas mais modernas que vem sendo utilizadas no treinamento de cavalos de Enduro mundo a fora, são outras ferramentas relevantes utilizadas para a evolução das rotinas de treinamento.

A alimentação dos animais, basicamente, restringe-se a ração de boa qualidade, apropriada para o momento de cada animal, e feno, também de boa qualidade – tão importante quanto a quantidade certa é a qualidade dos alimentos e a rotina em seu fornecimento.

O bom ferrageamento em um cavalo de Enduro é pré-requisito essencial para o sucesso de um conjunto em qualquer tipo de prova, por isto procuramos sempre trabalhar com profissionais experientes e de alto nível.

O Rancho Barreto, acreditando na máxima de que “caro é ter um animal sem condições de participar adequadamente de provas e de lhe propiciar a satisfação da montaria” também investe, sempre que necessário, no uso do trabalho de profissionais de alto nível na odontologia, quiropraxia e acumpuntura de equinos. Entende-se que é necessário estar sempre aberto à avaliação de técnicas que vem comprovando eficiência quando de sua utilização - não traduzam isto como aventura.

A paixão pelo cavalo, a preocupação com sua longevidade, oferecendo a ele a melhor qualidade de vida possível, é o que norteia todo o trabalho no Rancho Barreto.

Background Image

Foto: Tawwak XB. Um dos garanhões do Rancho Barreto

O que você tem a dizer a quem está pensando em começar a investir no Enduro Equestre?

Para aqueles que, na leitura até aqui, podem pensar que é tudo muito complicado, dá muito trabalho e é muito caro, acreditem, a nossa visão é de que não se deve confundir o trabalho bem feito com complexidade, a satisfação e o lazer de se fazer o que se gosta com muito trabalho e, principalmente, o sentimento em ter toda a família, dos jovens aos mais velhos, em um ambiente onde sempre temos um assunto a ser compartilhado, onde nada pode ser mais saudável do que um esporte bem praticado, sob valores absolutamente positivos e bem aplicados, o convívio dos amigos e o prazer de conviver com este fantástico animal – O CAVALO – para tudo isto não dá para se colocar o conceito de caro.

O resultado do INVESTIMENTO, desde que tudo seja bem pensado e dentro de nossas limitações, estabelece uma absurda e fantástica relação “custo”/benefício.

Aquele que faz o que gosta vive de férias, por isso no Rancho Barreto procuramos transformar tudo numa agradável diversão, acreditem.

 

Um último comentário: o Enduro Equestre é um esporte de Equipe, literalmente, e por isso mesmo não gostaríamos de deixar de citar o nome de algumas pessoas que, seja nos bastidores, seja no apoio durante as provas, vem contribuindo, e muito, para todos estes resultados: Adriana Barreto, Marcela Brasil Barreto, Cristian Barreto, Julio Sá, Marina Barreto, Marcela Barreto, Giancarlo Gregório, Odimar e tantos outros que, ao longo destes 13 anos de estrada, deixaram suas valiosas contribuições.