18.12.2017

O Reconhecimento de Percurso

Entenda o que deve ser avaliado e a importância deste momento para o seu desempenho nas competições

Uma prova de Salto tem início a partir da abertura do reconhecimento de percurso, que é um período (normalmente os 30 minutos que antecedem a entrada do primeiro conjunto) em que a pista fica liberada para que os concorrentes, treinadores e instrutores percorram o percurso da disputa a pé. Mas qual é a importância deste momento?

Segundo o campeão brasileiro Sênior, André Miranda, além de analisar o trajeto que será feiro na hora da prova, “é preciso identificar as distâncias entre os obstáculos, a composição deles, porque tem obstáculos de largura, outros que são mais delicados, outros que exigem mais de potência dos cavalos”.  

Cada prova tem um percurso diferente, que é montado de acordo com as características do concurso e dos cavaleiros que vão competir. Por isso, a armação de pista envolve vários fatores. Alguns deles, segundo o course designer internacional e treinador Hélio Pessoa são: “o piso, a qualidade dos obstáculos, das varas, se são mais pesadas ou mais leves; a inclinação da pista, a posição do sol, o número de competidores, a categoria das provas, se é para cavalos novos, se é um grande prêmio. Todas essas coisas são consideradas pelo armador de pista, que fica atento para contentar a todos”.

Obstáculos com testeira, muito coloridos ou com caixa de água sob as varas chamam atenção dos cavalos e podem ser motivo de faltas. Observe-os e decida quais elementos vai “mostrar” ao cavalo antes de iniciar o percurso

Assim, na hora do reconhecimento é a vez do cavaleiro analisar todas as variações escolhidas pelo desenhador de percurso e montar sua estratégia. Antes de entrar para o reconhecimento, é interessante saber qual será a ordem de entrada do conjunto, para saber se é preciso montar o cavalo logo após realizar o trajeto a pé, ou aguardar um pouco e observar o percurso dos primeiros competidores. Vale lembrar que o tempo de aquecimento depende do cavalo. Depende, por exemplo, se é um animal que demora para aquecer ou se fica nervoso na distensão – pista de aquecimento.

Durante o reconhecimento também é preciso pensar nas peculiaridades de cada cavalo: ele tem facilidade para curvas fechadas? Pode se assustar com quais elementos da pista? Tem o lance (passada do galope) curto ou longo? É preciso ganhar tempo nas curvas ou é um animal rápido? O momento que o cavaleiro deve responder essas perguntas, normalmente com o auxílio de seu treinador, é durante o reconhecimento. É com essa estratégia em mente que o cavaleiro vai decidir seu traçado, quantos lances fará em cada linha, onde fará cada curva e, assim, realizar seu percurso em busca da vitória. 

Durante o reconhecimento de pista, o uniforme também deve estar “asseado e arrumado”, conforme indica o Regulamento de Salto da CBH

Quanto à estratégia escolhida, lembre-se da dica número 3 do post “10 dicas que vão te deixar mais preparado psicologicamente” e não duvide dos seus planos: “Uma vez que traçam seus percursos e decidem suas estratégias, os cavaleiros que são fortes psicologicamente não duvidam se esses planos funcionarão ou não. Eles sabem que suas táticas são as melhores para si e para o seu cavalo, e eles se comprometem totalmente em executá-las na hora da prova”.

 

Quer saber mais sobre o Salto, outras modalidades e o universo do cavalo? Confira outros posts do nosso blog e, se tiver alguma sugestão ou dúvida para abordarmos por aqui, conta pra gente pelo apoio@chevaux.com.br