11.02.2016

Códigos de conduta para o bem-estar dos cavalos atletas

Saiba mais sobre as 5 principais atitudes estipuladas pela FEI.

Para os que praticam esportes equestres, os regulamentos que preservam o cavalo e seu bem-estar durante as provas não são novidade. Mas, para que não restem dúvidas, reunimos os códigos de conduta da FEI para o bem-estar dos cavalos atletas neste post. Consulte sempre que precisar e divulgue para todos os envolvidos no esporte. A informação é sempre valiosa, ainda mais quando se trata da segurança de outro ser vivo.

 1. O bem-estar do cavalo deve prevalecer sempre.



- A acomodação e alimentação do cavalo devem ser compatíveis com suas necessidades. Feno, ração de qualidade e água precisam estar sempre disponíveis.

 - Os cavalos só devem receber treinamentos que respeitem seu nível de preparo físico e de maturidade no esporte em que pratica. Os animais não devem ser submetidos a treinamentos com métodos abusivos ou que causem medo.

 - Os cuidados com os cascos e as ferraduras devem ser de ótimo padrão. Tudo para evitar o risco de dor ou lesão.

 - Durante o transporte os cavalos precisam estar protegidos contra ferimentos e riscos de saúde. Os veículos precisam ser seguros, bem ventilados, desinfetados regularmente e conduzidos por equipe competente para lidar com os cavalos.

 - Todas as viagens devem ser planejadas cuidadosamente e os cavalos precisam usufruir de períodos de descanso com acesso a comida e água

2. Cavalos e cavaleiros devem estar em boas condições físicas para competir.

- Lembre-se de que a participação em competições é para cavalos e cavaleiros aptos a praticar o esporte. Os cavalos precisam de períodos de descanso entre os treinamentos e competições; e períodos adicionais de descanso devem ser oferecidos após viagens.

 - Nenhum cavalo considerado sem condições de competir deve competir ou seguir nas provas. Busque orientação veterinária sempre que tiver dúvidas.

 - Qualquer ação ou intenção de doping ou uso ilícito de medicamentos constitui uma falha grave dos códigos de conduta e não serão tolerados. Após qualquer tratamento veterinário, o cavalo precisa receber tempo suficiente para completa recuperação antes de voltar a competir.

 - Qualquer procedimento cirúrgico que ameace o bem-estar e a segurança do cavalo ou do cavaleiro não devem ser permitidos.

 - Éguas não devem competir após o quarto mês de gestação ou com potro recém-nascido.

 - Abuso de ferramentas naturais ou artificiais, como chicote ou esporas não será tolerado.

3. Nenhum evento pode prejudicar o bem-estar do cavalo.


 

- Os cavalos devem treinar e competir em locais seguros e apropriados. Todos os obstáculos e condições de prova devem ser pensados considerando a segurança e o bem-estar dos animais.

 - Todas as superfícies em que o cavalo caminhar devem minimizar os fatores de risco de lesões.

 - As provas não devem ser realizadas em condições extremas de clima que possam comprometer o bem-estar e segurança dos cavalos.

 - As baias precisam ser seguras, limpas, confortáveis, bem ventiladas e coerentes às necessidades de espaço do cavalo.

4. Garantir que o cavalo receba a atenção apropriada após a competição e após sua aposentadoria.

 

- O atendimento veterinário deve estar disponível em qualquer evento. Se o cavalo ficar exausto ou se machucar, o cavaleiro deve se retirar da prova e o cavalo deve receber uma avaliação veterinária.

 - Sempre que necessário, os cavalos devem ser encaminhados ao hospital veterinário mais próximo para receber tratamentos adicionais. Cavalos machucados devem receber o tratamento adequado antes de serem transportados.

 - Os níveis de ocorrências de lesões devem ser monitorados. As condições das superfícies de prova, a quantidade de participação em provas e qualquer outro fator de risco precisa ser examinado cuidadosamente na busca por formas de minimizar lesões.

 - Se o cavalo sofrer lesões suficientemente graves, é preciso considerar a eutanásia, que deve ser realizada por um veterinário para minimizar o sofrimento.

 - Os cavalos precisam ser bem tratados, de forma humana, após a sua aposentadoria.

5. Formação e treinamento continuados dos profissionais envolvidos.



 

Ficou alguma dúvida? Entre com contato com a gente ou veja o documento original (em inglês) aqui: http://goo.gl/06HiGy