05.10.2016

5 perguntas para Fernando Gonçalves

Conheça a história do atleta e saiba o que esperar do leilão Seleção Rancho da Capital

O Conjunto Festival Hípico vem aí e uma das atrações do evento será o leilão Seleção Rancho da Capital, que está sendo organizado pelo Fernando Gonçalves, atleta e criador já bastante conhecido entre os enduristas e um dos pioneiros do esporte em Brasília.
Conheça um pouco mais da história do cavaleiro e saiba o que esperar de sua seleção.

Como começou o seu envolvimento com os cavalos? E com o Enduro?

Venho de família simples, onde as origens se remetem a trabalhadores rurais. Tenho contato com cavalos desde pequeno, quando frequentava o interior de Minas Gerais, nas propriedades dos meus tios e parentes. Sempre fui apaixonado por montar, desde criança.

Conheci o enduro entre 1992 e 1993, na primeira prova realizada no Distrito Federal, mas só iniciei no ano de 1998, quando comprei um cavalo Campolina e participava de provas de “Enduro de planilha”. Dali em diante troquei o Campolina pelo Mangalarga Marchador e, em seguida, adquiri o primeiro cavalo árabe, de nome Cristal. Com ele participei de várias competições de longa distância, inclusive vencendo, em 2005, a prova de 160km do Haras Endurance, localizado em Bragança Paulista – SP.

  Fernando Gonçalves e Carlos

 Como os seus cavalos são criados no rancho? Quais são os principais cuidados?

 Nós temos uma propriedade pequena, com poucos cavalos. Tentamos usar isto como vantagem para dar mais atenção para cada animal. Acreditamos que, para um cavalo ser um campeão, cada detalhe faz a diferença e isto começa com o manejo, alimentação e casqueamento correto.

Desde as primeiras horas de vida, os animais do Rancho da Capital já são manipulados para se acostumarem com a presença humana. Isto se segue durante toda a vida do animal, que é diariamente manuseado. Desta forma, quando ele chega na prova já não se importa com o resfriamento ou com o exame veterinário e no descanso obrigatório ele pode ficar tranquilo para relaxar.

A nutrição é outro ponto muito importante para o desenvolvimento do animal. Foi a primeira coisa que me preocupei quando comprei a chácara. Ela é toda formada de Tifton, que é uma forrageira de alto valor nutritivo para os equinos. Além do pasto, os animais têm acesso à ração de boa qualidade e sal mineral com vitaminas, além de água à vontade.

Também fazemos casqueamento corretivo desde os primeiros meses, pois é importante que o cavalo tenha bons aprumos para evitar que ele se lesione durante os treinos. A doma dos potros é racional. Começa do chão e os cavalos só são montados quando já estão aceitando o cavaleiro. Tudo para não quebrar a confiança do cavalo no homem.

Enfim, acreditamos que a saúde e bem-estar do cavalo vêm em primeiro lugar. Os árabes são cavalos que devem ser conquistados e, se isto acontecer, pode ter certeza que além das patas, eles também lhe darão o coração.

Como é o treinamento para o Enduro no Rancho da Capital? 

O treinamento varia muito com a idade do animal, a distância, a topografia da prova a ser percorrida e o objetivo específico da prova. Os cavalos jovens trabalham basicamente a passo. Este trabalho tem como objetivo principal preparar a estrutura locomotora do equino para o que está por vir. Vemos as provas curtas, de até 80 km, apenas como uma preparação do animal até que ele esteja qualificado para correr uma prova de 120km. Para este tipo de competição, os animais fazem apenas treinos que chamamos de base, que são treinos curtos com pouca intensidade. Quando os animais chegam à longa distância, eles já estão preparados para aguentar mais volume e intensidade no treino, mas cada um tem uma hora certa. Temos uma topografia que nos permite treinar em locais planos ou com morros, o que é bom para alternar o treino e preparar tanto a parte locomotora quanto a músculo esquelética.

 

 Fernando no Campeonato Mundial de 2012, em Londres, montando o cavalo francês Otello de Rivoiron

 O que as pessoas podem esperar dos animais que vão participar do leilão? Como eles foram escolhidos?

 Sou um pequeno criador. Seleciono cavalos que acredito ter futuro para correr, sempre buscando os melhores. Então no leilão irão se deparar com animais de diferentes linhagens. Temos filhos e netos dos maiores produtores de cavalos de Enduro do Brasil e do mundo. Além das linhagens espetaculares, os animais se destacam por ter características desejadas em cavalos de Enduro, como uma boa altura de cernelha, serem fortes e de aprumos corretos, altivez, além da beleza, é claro.

No leilão estamos oferecendo animais já prontos para iniciar provas de 120km, 80km e 60km, além de animais já domados e que ainda não correram provas. Para comprovar a higidez destes animais, vou disponibilizar a radiografia de todos que são indicados para Enduro. Outra facilidade é que quase todos os animais já são chipados e possuem passaporte pronto. Portanto, quem adquirir o animal não precisa perder tempo com burocracia, é só treinar e correr.

 Você foi um dos pioneiros do Enduro em Brasília, atuou e atua ativamente na organização do esporte. Como você avalia o Enduro no Brasil hoje? O que já temos e o que ainda falta?

O Enduro é um esporte maravilhoso. Todos que o conhecem se apaixonam. Nossas provas se igualam, em organização, às melhores provas do mundo, e temos todas as condições de realizar grandes campeonatos no Brasil. Temos animais excelentes, procurados por muitos estrangeiros que todos os anos retornam ao Brasil para renovarem seus plantéis. Nosso criatório é recheado de linhagens de todo o mundo, produzindo um cavalo forte, ágil e com uma aptidão incrível para o enduro.

Tenho orgulho de ter vendido vários animais que hoje se destacam no Brasil e no exterior. Posso citar como exemplo a égua Sheeha Rach, que ficou em 3º Lugar na seletiva para o mundial realizado em maio desse ano, aqui em Brasília. Uma prova de 160km, em um dia quente, onde muitos foram eliminados. Outro exemplo é a égua Manama Endurance, vendida para um Chileno que, com ela, venceu a seletiva do seu país desse ano para o Campeonato Mundial e é, hoje, seu principal animal. Também tenho muito orgulho de ter vendido o cavalo Imosec Endurance para a Cida Gazola em 2014. Com ele, sua filha, Cecília Gazola, foi campeã paulista em 2015, campeã brasileira de 80km em 2015 e, esse ano, foi vice-campeã brasileira da categoria de 120 km. Ver os cavalos que vendi se tornarem campeões é uma grande satisfação e é a confirmação de que nossa seleção de animais para o Enduro está correta e no caminho certo.

Temos tudo o que o esporte precisa aqui no Brasil. Acho que sempre devemos buscar novos conhecimentos através de intercâmbios com os melhores do mundo.

  

Todos poderão conhecer de perto a criação do Rancho da Capital no dia 23 de outubro, durante o festival. Além disso, será possível fazer lances online antes do dia do evento. Vamos prestigiar um dos precursores do Enduro na capital e conhecer animais que prometem grandes resultados no esporte.  

Mais informações em breve em Mult Leilões